Limbo – Review do Livro

Opa turma, tudo em riba? Quanto tempo... E a familia? Como vai?

É o seguinte... estou protelando essa review a um tempo... eu admito... eu sinceramente não encontrei uma forma boa de falar sobre o livro do Thiago d'Evecque sem entregar pedaços importantíssimos da história. E eu, pessoa que odeia spoiler que sou, me senti meio que impossibilitado em minhas limitações de fazer algo que fosse merecedor da obra por aqui... Mas, a vida é uma caixinha de surpresas, e, depois de escolher mil formas diferentes de falar, eu decidi por... falar do jeito que eu sempre falei! Sim, decepcionante, eu sei, mas, é o que tem pra hoje 😀

Limbo nasceu de uma NaNoWriMo (National Novel Writing Month) pelas mãos e sinapses do já conhecido de vocês que me acompanham, Thiago d'Evecque.

Antes de cair um pouquinho (bem pouquinho mesmo) na sinopse do livro, eu quero falar rapidamente e superficialmente sobre o NaNoWriMo.

Esse nome complexo de falar que em tradução literal de pedreiro podemos chamar de: Mês de escrita nacional de novelas (e não são as novelas da globo...) é um projeto que reúne autores do mundo todo para criar uma social network de escritores com um foco: escrever um livro de 50k palavras em 30 dias! Parece loucura! E é! Isso dá ai uma faixa de 1667 palavras por dia! Não é pra qualquer um! Porém, o objetivo do processo é bem mais profundo do que simplesmente cuspir 50 mil palavras... a grande parada é você adiquirir o hábito da escrita e desenvolver contatos com pessoas criativas, escrever em um ambiente focado na criatividade e broderagem... Vale ressaltar aqui que o site do projeto é gringo, e que grande parte dos autores estarão escrevendo em inglês, porém nada lhe impede de escrever no idioma que achar mais confortável (ou seja, aquele livro em Quenia pode fazer parte da brincadeira). O que vale aqui é o objetivo traçado e a comunidade em volta dele!

Bom, após apresentar o projeto que é muito bacana, quero falar mais enfaticamente sobre Limbo.

O Thiago consegue no seu livro de estréia entregar um formato de leitura agradável e por vezes bem madura. Dá para sentir que ele sabia o que estava escrevendo. Começar com o pé direito em algo é extremamente difícil, ele, na minha humilde opinião, conseguiu isso com folga.

Como falar de um livro recheado de referências sem cita-las? Como citar referencias sem entregar spoilers? Me ajudem a responder essa, por favor! Não? Então deixa eu tentar aqui...

Bom, em Limbo, nós conhecemos nosso personagem principal que tem uma missão que é juntar uma galera pra fazer uma parada em um lugar... Essa galera está em outro lugar... Nosso protagonista dispõe de uma arma viva (em sentidos bem mais profundos do que meramente viver) que recebe o singelo nome de Cacá, nome pelo qual, a arma sente asco, ao menos à principio. (BRINKS)

Ficou uma grande porcaria a sinopse alí em cima né... eu sei... a grande verdade é que Limbo trás uma história densa e tocante, com personagens tridimensionais, situações por vezes desesperadoras que em um passe de mágica se transformam em comédia pastelão. Os personagens são extremamente carismáticos, e mesmo aqueles que tem pouco tempo de "tela" acabam por ser extremamente cativantes.

Me respondam, se vocês fossem contadores de histórias, e pudessem escolher qualquer canto fantástico para passar a eternidade como convidado, que lugar vocês escolheriam? Se vocês fossem extremamente importantes como lideres e tivessem de escolher entre ordens diretas e desejos da alma, como resolveriam? Se vocês tivessem sido traídos sendo justos durante toda sua vida, como isso os afetaria?

Em Limbo o que temos são personagens que, ficticios ou não (no quesito histórico) se mostram tão humanos quanto qualquer um de nós e tão divinos quanto jamais seremos...

O Thiago conseguiu entregar em um livro relativamente curto, feito em um prazo extremamente curto com uma revisão muito bem feita (e em pouquíssimo tempo também) uma história que rivaliza com títulos de gigantes da literatura fantástica brasileira, eu sinceramente não consigo deixar Limbo atrás de nada do André Vianco, Fabio Yabu ou mesmo do Eduardo Spohr...

Infelizmente, hoje a única forma de consumir essa obra é por meios digitais, mais especificamente na Amazon. Não sei se o Thiago pretende lançar em outras livrarias digitais ou se futuramente pretende fazer uma tiragem física do livro (que eu compraria com toda a certeza). Isso por um lado é vantajoso ao autor que pode lançar a obra sem penar por editoras, por outro lado, limita o alcance dos leitores, mas a vida é assim, cada escolha que fazemos nos leva a um lugar diferente, seja aqui ou no limbo...

Vale ressaltar que Limbo é RECHEADO de referências, desde a primeira frase da história até a conclusão da mesma. Referências essas que, caso você as reconheçam, vai se pegar rindo sozinho e pensando o clássico: "Eu vi o que você fez ai", porém, caso não as pegue, irá aproveitar a narrativa da mesma forma.

Eu sei que a review ficou meio estranha, mas eu já estava me sentindo mal por deixar para depois isso aqui. Para ser sincero, o resultado desse meu texto que começou sem script, me deixou satisfeito.

Você pode conferir as 10 coisas que o Thiago aprendeu escrevendo Limbo aqui (que por si só já é um texto sobre o livro mil vezes melhor do que o meu): http://pequenosdeuses.com.br/10-coisas-que-aprendi-escrevendo-limbo/

Você confere Limbo clicando neste link: http://www.amazon.com.br/gp/product/B010VNGZEA

E o trailer do livro no vídeo abaixo.

Até a próxima turma.

  1. Fala, Thiago! Que surpresa boa essa resenha hahaha

    Cara, fiquei até emocionado. Muito obrigado pelas palavras! Fiquei feliz demais por ter gostado. Uma honra ter um texto legal desses falando sobre minha obra.

    Eu tenho a mesma sensação que você, de não poder conversar sobre Limbo em público porque qualquer coisa é spoiler hahahah.

    Agradeço novamente pelo espaço, pelo seu tempo de ler e falar da obra e pelas palavras incríveis, Thiago. Nem sei o que dizer.

    Abraços

    1. Rapaz, vou te confessar que eu reescrevi ela umas 5 vezes… sem exageros…
      Há passagens ali que eu insistia em colocar e que sempre quebrava a corrente, entregando pedaços da história, você conseguiu entregar uma daquelas obras que não adianta muito falar, tem de mergulhar solo e extrair o máximo que conseguir.

      Mais uma vez parabéns pelo bom trabalho!

  2. Ah, e sobre o NaNoWriMo, acho que você já sabe, mas lá tem fóruns baseados em região. Ou seja, tem um só pra brazucas, sempre cheio de gente legal e disposta a ajudar.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *